DESPORTO E DISFUNÇÃO ERÉCTIL: OS ESTRANHOS EFEITOS DA BICICLETA SOBRE A IMPOTÊNCIA

Uma bicicleta não causa danos à vida sexual de um homem, quanto mais a outras partes do corpo. A razão destes danos na sela deve-se a concepções erradas do passado, uma vez que se pensava que eram causados por uma pressão constante sobre a área afectada. Contudo, os estudos foram baseados em amostras demasiado pequenas. Ainda hoje, vários estudos estão ainda a tentar descobrir que actividades desportivas podem ajudar ou piorar a condição física. 

 

 

Assim, vários estudos foram feitos por americanos, envolvendo vários atletas desportivos, mas novas pesquisas e questionários mostraram que os ciclistas, se treinados constantemente, podem também ter melhores erecções. A dúvida dos investigadores centrou-se então noutro aspecto da actividade ciclística: a posição regular do guiador e da sela, de modo a não gerar dobras genitais e dormência.

 

Em relação ao tracto urinário

A mesma investigação publicada no “The Journal of Urology” também mostrou os efeitos que este desporto pode trazer: especialmente aqueles que praticam ciclismo de montanha a um nível intenso podem ser afectados pela estenose uretral (um estreitamento do canal através do qual a urina é expelida). Por sua vez, causa dificuldade em urinar, como dor e ardor, mas não causa nada do ponto de vista da erecção. Para resolver este problema é suficiente escolher o assento certo com espaço vazio no meio (isto é suficiente para reduzir a pressão na zona pélvica). 

 

Como o desporto pode contribuir para o sexo e o bem-estar masculino

No essencial, o desporto contribui para melhorar o sistema cardiovascular e respiratório de todos os sistemas. A disfunção eréctil diz respeito à primeira destas duas, uma vez que é basicamente um fornecimento de sangue escasso no pénis, devido a várias razões que vão desde psicológicas a físicas. Não só isso, a actividade física está intimamente ligada à actividade sexual porque ambas libertam endorfinas (o neurotransmissor) necessárias também para ter uma vida sexual positiva. 

Actividades tais como jogging, exercícios de passadeira, trekking e outros tipos de corrida são muito boas, são também as primeiras a serem recomendadas. Não é coincidência que muitos urologistas e andrologistas, antes de iniciarem a terapia com sildenafil (Viagra) também peçam ao paciente para começar a exercitar-se constantemente e para rever também a sua dieta alimentar. 

 

 

Desporto para praticar

Para além de jogging, trekking e passadeiras, é frequentemente recomendado nadar, treinar, esticar, saltar à corda e até jogar golfe (este último não recomendado para quem tem problemas de próstata). Basicamente, recomendamos desportos que não exerçam qualquer pressão sobre a zona pélvica e que coloquem uma grande quantidade de aparelhos no nosso corpo. Em geral, o ciclismo não é recomendado, mas como já foi dito, colocar a luz vermelha é inútil, porque a pressão da zona pélvica (que é a causa principal) apenas danifica o tracto urinário. 

 

 

No entanto, é necessário evitar desportos excessivos, porque nessa altura já não é tão saudável. Afirma-se mesmo que a grande maioria dos homens que estão constantemente concentrados no desporto (demasiado, para ocupar uma boa parte do dia) perdem a sua libido, no sentido literário do termo: perdem o desejo de ter sexo. Ou melhor, mais do que desejo, o compromisso é menor. Pensa-se que isto pode ser causado pela fadiga e energia gastas em exercício e desporto, uma vez que também leva a uma queda de testosterona e esforço desnecessário. A queda nos níveis de testosterona é portanto directamente proporcional à queda no compromisso “na cama”. Contudo, todos têm um limite de treino diferente e é difícil compreender o que está em jogo para não ser ultrapassado, razão pela qual os atletas são avisados dos sintomas que ocorrem em caso de “Overtraining” (demasiado exercício): insónia, fadiga, dificuldade em recuperar do esforço, baixa concentração, perda de peso excessiva, dores musculares constantes e, de facto, declínio do desejo. Estes sinais são um aviso de que o corpo sai, com a intenção de comunicar que precisa de menos exercício, menos carga de trabalho e mais relaxamento. Deve ser lembrado que o descanso e a nutrição adequados também fazem parte da melhor formação que se pode fazer. A longo prazo, caso contrário, poderá acabar por tornar a sua vida monótona e baseada unicamente no exercício.